icone transparencia cosems     icone politicas publicas     icone transparencia minas     icone projeto conasems
         

Município de Ubá detecta "Alto Risco" de infestação por Aedes Aegypti

on 07 Fevereiro, 2020

Assim como em janeiro de 2019, o resultado (8,2%), do primeiro Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti  (LIRAa) do ano de 2020, apontou um “Alto Risco” de surtos de doenças causadas pelo mosquito. O primeiro LIRAa do ano foi realizado no período de 6 a 10 de janeiro, onde os Agentes de Combate às Endemias (ACEs) estiveram em campo coletando amostras em todos os bairros do município de forma simultânea, e após consolidação dos dados foi certificado que os criadouros  dentro das residências continuam sendo o maior vilão.

Vasos, pratos, frascos de plantas e bebedouros de animais, somam 23.9% dos focos de Aedes encontrados, 23.5% são calhas, ralos, lajes e sanitários em desuso. Os tambores e reservatórios de água somam 19,1%, caixas d’agua 14.8%, lixo (recipientes plásticos, garrafas etc.) 13%, pneus 4.8% e por fim, os depósitos naturais como bromélias, folhas e buracos de árvores representam 0,9%. É importante que a população receba bem os Agentes de Saúde e siga as orientações dadas por eles. Também se faz necessário o cumprimento dos dez minutos semanais contra o Aedes.

Combate ao Aedes em Ubá

Diante do elevado resultado do índice, 8,2%, a Secretaria Muncipal de Saúde está intensificando as ações através dos mutirões de limpeza que serão retomados, contratação de novos ACEs, telagem de caixas d’água, implantação de Comissões Permanentes de Combate à Dengue (CPCDs) nas empresas e nas escolas, campanhas de mobilização incentivando inclusive o uso de repelentes e a realização da limpeza nas residências.

ubadengue